> Entre Aspas

UM TALENTO
INCOMPARÁVEL

CINCO ANOS DEPOIS DE PARTIR PARA CARREIRA SOLO, FERNANDO DE OLIVEIRA VOLTA ÀS NOSSAS PÁGINAS MUITO MAIOR, MAS COM A MESMA SEDE DE APRENDER E ENSINAR

Por Pedro Eugênio Prado

Era o início do ano de 2005 quando um jovem padeiro e confeiteiro, com um jeito tímido de garoto do interior, bateu à minha porta na editora e pediu licença. “Me disseram que o senhor queria falar comigo…”, disse ele, meio sem jeito. Fernando de Oliveira tinha saído há pouco tempo de seu emprego como ajudante de padeiro em uma padaria da região de Campinas e procurava uma nova colocação. Foi nessa condição, acompanhando um colega que veio até nosso DAT 2000 apresentar uma receita, que Fernando comentou com nosso pessoal que conhecia a revista há tempos e sonhava em ser o Responsável Técnico pelo DAT 2000. Depois da conversa, saiu de minha sala contratado.
Em um tempo em que precisávamos de um profissional que tivesse responsabilidade e respeito pela missão de levar informação e ensinamentos aos nossos leitores, o jovem que se iniciava em sua carreira profissional mostrou que já estava mais que preparado para assumir o cargo. Fernando aprendeu a escrever receitas, aprendeu a pesquisar em livros, aprendeu a apresentar suas criações em fotos e vídeos, aprendeu a tirar as dúvidas de centenas de assinantes da revista que lhe telefonavam o tempo todo. Fernando adorava estudar, aprender, se superar. Nos nove anos que esteve à frente do DAT 2000 conquistou tudo e muito mais do que o tímido jovem aprendiz de padeiro poderia sonhar. Apresentou vídeos e DVDs, escreveu livros, foi meu parceiro na criação do concurso GRAN CHEFS, cuja concepção ele trouxe de suas experiências em torneios similares que via em suas viagens para a Europa, das quais voltava sempre repleto de novidades, carregando novos livros que, para compreender o que estava escrito e dominar as técnicas que os autores ensinavam, passou a trocar suas horas de almoço por aulas de francês. Qualquer novidade que eu lhe trazia das reportagens de jornais e revistas, pedindo para ele tentar reproduzir, Fernando não descansava até conseguir.
Depois de nove anos à frente do DAT 2000, Fernando há muito já não era o jovem aspirante que um dia havia batido timidamente à minha porta. Tornara-se um profissional da mais alta categoria, que dominava qualquer técnica ou especialidade que lhe caísse nas mãos. Fossem pães, doces, salgados, bolos, chocolates, tudo para ele ficava fácil e perfeito. Fernando havia ficado muito maior do que o cargo que ocupava, e havia chegado o momento de alçar voos maiores. E assim se desligou da Revista PADARIA 2000 em outubro de 2014, mas não sem antes terminar de coordenar as finais do concurso GRAN CHEFS daquele ano, pois nunca fugiu aos seus compromissos. Não é preciso enumerar os feitos de Fernando daí por diante, mas vamos lá: Ganhou concursos, conquistou títulos, virou apresentador de TV, abriu sua Escola de Panificação e Confeitaria, onde ministra aulas regularmente, ensinando as técnicas que aprendeu com os maiores do mundo, e também as que desenvolveu por conta própria, com seu talento nato e sua ânsia de sempre aprender cada vez mais. Quando nos separamos, eu disse a ele: “Agora você vai ter que provar que tem capacidade para ser o Fernando de Oliveira sozinho, sem a PADARIA 2000”. Depois de mais de cinco anos, ele volta às nossas páginas, provando que se tornou muito maior do que quando nos deixou, mas que ainda conserva a humildade e a simpatia de sempre. Qualidades que só os grandes homens possuem.

Rolar para cima